Memória de Nossa Senhora do Rosário

 

 

Quem ama ardentemente a alguém, traz seu nome nos lábios e nela pensa dia e noite.

O costume de rezar o rosário nasceu do amor dos cristãos por Maria na época medieval, talvez no tempo das cruzadas à Terra Santa.

Rosário significa grinalda, coleção de rosas, as orações oferecidas a Maria. Mas a devoção de recitar orações vocais é muito antiga.

Historicamente, a memória que hoje celebramos quer render louvores a Maria por ela ter sido a medianeira da vitória que os cristãos alcançaram sobre os Turcos em 1571 na Grécia (há 439 anos atrás). Segundo conta a história, os cristãos saíram vitoriosos porque invocaram o auxílio de Maria, rezando o santo rosário.

O Papa Pio V, sem os meios de comunicação modernos, mandou tocar os sinos de Roma pela vitória no mesmo dia da batalha Naval. Era o dia 07 de outubro. Inicialmente esta memória chamava-se Nossa Senhora das Vitórias...

A origem do terço também é muito antiga. Remonta aos Anacoretas orientais, (monges religiosos que viviam na solidão em oração), nos primeiros séculos, que usavam pedrinhas para contar o número das suas orações.

Nos conventos medievais, os irmãos leigos, dispensados da recitação da liturgia das horas, por sua pouca familiaridade com o latim, completavam as suas práticas espirituais com a recitação de Pai-Nossos e para a contagem, São Beda, o venerável (672-735) havia sugerido a adoção de vários grãos enfiados num barbante.

Também uma piedosa lenda afirma que a própria Nossa Senhora apareceu a São Domingos, indicando-lhe a reza do Rosário como arma eficaz contra os hereges e para a salvação do mundo.

Nasceu assim a devoção do Rosário, que tem o significado uma grinalda de rosas oferecidas a Nossa Senhora.

Os promotores desta devoção foram os dominicanos, que também criaram as confrarias do Rosário.

Foi o Papa dominicano Pio V, o primeiro a encorajar e a recomendar a prática da recitação do Rosário, que se tornou a oração popular por excelência, preferida de todo católico, uma espécie de breviário do povo, para ser recitado à noite em família. Ele reconhecia assim que a Mãe de Jesus assistia seu povo nos momentos de grandes dificuldades.

Dizia o Papa: “Aquelas Ave-Marias recitadas em família estão animadas de autêntico espírito de oração. Enquanto se prossegue na doce e monótona cadência das Ave-Marias, o pai ou a mãe de família pensam nas preocupações familiares. Este emaranhado de aspectos da vida familiar recebe então a iluminação dos mistérios salvíficos de Cristo, e é espontâneo confiar tudo à Mãe do milagre de Caná e de toda a Redenção”.

A memória deste dia 07 de outubro, instituída por Pio V para comemorar a vitória de 1571 na Grécia, foi estendida em 1716 à Igreja do mundo inteiro.

Maria, é o grande modelo para a nossa caminhada. É espelho às jovens e às mães de hoje. Ela soube viver seu compromisso missionário em casa. Soube defender Jesus quando ameaçado por Herodes. Preocupou-se quando Jesus se perdeu no Templo.

Na vida de Comunidade, Maria estava junto aos apóstolos e com eles rezava.

Fora da Comunidade, visitou sua prima Isabel quando esta necessitava de ajuda... Maria foi sempre uma jovem aberta às necessidades da comunidade. Ela é exemplo e modelo para todos nós. Em sua vida, procurou sempre colocar-se a serviço de quem necessitava.

Se recorremos com fé a sua intercessão, ela nos dá aquela força afim de que saiamos vencedores nas nossas dificuldades.

Maria é a escada do céu, pois como foi por ela que Cristo veio a nós, assim é também por intercessão D’ela que nós vamos a Jesus.

Por isso eu sempre digo: Tudo por Jesus, nada sem Maria.

 

HINO À MARIA, MÃE DA VIDA

 

“Na terra recordamos teu gozo e tua dor, Ó Maria, que contemplamos em glória e resplendor.

Ave, quando concebes, visitas, dás à luz, e levas e recebes no templo o teu Jesus.

Ave, pela agonia, flagelo, espinho e cruz: a dor da profecia à glória te conduz.

Ave, sobre o teu Filho, o Espírito nos vem, deixando o nosso exílio, ao céu sobes também.

Duzentas rosas, nações, vinde colher, coroas luminosas à virgem Mãe tecer.

Louvor ao Pai e ao Filho e o Espírito também, dos três, divino auxílio ao nosso encontro vem”.

 

ORAÇÃO

Derramai, ó Deus, a vossa graça em nossos corações, para que, conhecendo, pela mensagem do anjo, a encarnação do Cristo, vosso Filho, cheguemos, por sua paixão e cruz, à glória da ressurreição pela intercessão da  Virgem Maria. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Fonte inspiradora:  www.cleofas.com.br

 Colaboração: Pe. Reinaldo

 

 

 

 

 

<< Voltar

 

 

free counters