É preciso esforço...

 

 

Certo dia, um homem caminhava por uma estrada deserta e começou a sentir fome. Não estava prevenido, pois não sabia que a distância que iria percorrer seria tão longa.
Começou a prestar atenção na vegetação ao longo do caminho, na tentativa de encontrar alguma coisa para acalmar o estômago.

De repente notou que havia frutos maduros e suculentos em uma árvore.
Aproximou-se, mas logo desanimou, pois a árvore era muito alta e os frutos inacessíveis.
Continuou andando e foi vencido pela fome e o cansaço. Sentou-se na beira do caminho e ficou ali lamentando a sorte.

Não demorou muito e ele avistou outro viajante que vinha pelo mesmo caminho.
Quando o viajante se aproximou, o homem notou que ele estava comendo os frutos saborosos que não pudera alcançar e lhe perguntou: amigo, belo fruto você encontrou. É, respondeu o viajante. Eu o encontrei no caminho, a natureza é pródiga em frutos suculentos.
Mas você tem a pele machucada, observou o homem.
Ah, mas isto não é nada! São apenas alguns arranhões que ficaram pelo esforço que fiz ao subir na árvore para colher os frutos.
E o homem, agora com mais fome ainda, ficou sentado resmungando, de estômago vazio, enquanto o outro viajante seguiu em frente.

 

Vivemos numa época em que tudo pode ser conseguido sem nenhum esforço. As coisas estão às nossas mãos. Se por um lado isto nos traz muita comodidade, por outro, corre-se o grande risco de achar que assim como no campo material, no nível espiritual também as coisas devam ser assim.

Talvez isto explica a grande dificuldade das pessoas viverem e testemunharem a fé. Muitos preferem acreditar em um Deus que não lhes pede nada e que dá tudo a seu tempo e hora. Basta chegar o sofrimento e as dificuldades que já entra em desespero e a fé enfraquece.

É bom lembrar que o Cristianismo é a religião da Cruz. Não por que gostemos de sofrer, mas por que abraçada por Cristo ela se tornou objeto de salvação.

Dessa forma compreendemos que o esforço humano se torna redentor unido ao sofrimento de Cristo que não se importou com os "arranhões" e até a morte para nos libertar do pecado.

Caminhemos pelas estradas da vida, vencendo a preguiça e o comodismo e saboreemos os muitos frutos que Deus nos oferece, como o perdão, o amor, a paz, a alegria....

 

 

 

 

 

 

 

 

<< Voltar

 

 

free counters