Família "Santuário da Vida"

 

   

O Concílio Vaticano II considerou a família  como "a Igreja doméstica" (LG, 11) onde Deus reside, é reconhecido, amado, adorado e servido e ensinou que: "A salvação da pessoa e da sociedade humana estão intimamente ligadas à condição feliz da comunidade conjugal e familiar" (GS, 47). "Desta maneira a família, na qual convivem várias gerações, que se ajudam mutuamente em adquirir maior sabedoria e em harmonizar os direitos pessoais com outras exigências sociais, constitui o fundamento da sociedade" (GS, 52).

O papa João Paulo II nos chamou a atenção para o quanto o mundo secularizado em que vivemos estava deturpando e destruindo a imagem das famílias que é obra de Deus escrevendo a Exortação Apostólica, familiaris consortio de sua santidade  João Paulo II  ao episcopado ao clero e aos fiéis de toda a igreja católica sobre a função da família cristã no mundo de hoje, 1981.

Disse também que a família é "Santuário da vida" (CF, 11). Santuário quer dizer “lugar sagrado”. É ali que a vida humana surge como de uma nascente sagrada, e é cultivada e formada. É missão sagrada da família, guardar, revelar e comunicar ao mundo o amor e a vida.

Nossa Constituição Federal reconhece em seu art. 226 “A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado”.

Contudo, nossos políticos nada têm feito para proteger a entidade familiar, pois, tem faltado educação, saúde e muitas outras necessidades básicas, mas o principal é que nossa legislação acabou com essência da família.

Nossos legisladores criaram leis totalmente permissivas e incentivadoras da união estável, ao divórcio e por último o STF quis equiparar a união entre pessoas do mesmo sexo, como família.

O catecismo da igreja católica vai dizer que: “Um homem e uma mulher unidos em casamento formam com seus filhos uma família” (Inciso 2202)

O mundo individualizado em que vivemos, não admite a vida em família, pois, prega a cultura do individualismo, do capitalismo e de que a pessoa tem que ser feliz a qualquer custo, mesmo que para isso tenha que passar por cima do próximo e afastar-se de Deus.

O que mais se vê na mídia é “incentivo ao adultério, independência financeira entre homem e mulher, delegar a criação dos filhos a entidades e ou empregados” e tudo isso em nome de uma falsa felicidade. O ser humano hoje vê no dinheiro o grande “deus” capaz de lhe proporcionar tudo o que precisa.

Quero aqui também chamar à responsabilidade, nós Cristãos, que devemos buscar uma formação mais sólida na fé cristã, buscando conhecer a fundo a doutrina da Igreja, estudando diariamente a palavra de Deus, eucaristia diária, para que não sejamos enganados pela doutrina mundana.

 

Temos que ser mais críticos e colocar nossa posição como Cristãos, sendo contrários a essas Leis que ferem os ensinamentos do Evangelho e vão de encontro ao que está prescrito na Bíblia.

Devemos parar de acreditar que os ídolos são jogadores de futebol, artistas de TV, e tantos outros que nada acrescentam de bom em nossas vidas. Bem como, parar de colocar nossa esperança no dinheiro e no status social.  Devemos sim, buscar conhecer a vida dos santos e santas da Igreja, e nos espelharmos neles e ensinarmos a nossos filhos como essas pessoas transformaram o mundo pela fé e deram testemunho do Evangelho de Cristo.   

E ainda, aprender a viver sob o senhorio de Cristo, colocar todas as nossas necessidades e dificuldades em suas mãos, na certeza que ele proverá o melhor para nós.

A palavra de Deus é clara: Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito. (Rom 12, 2)

 

Alysson de Souza Oliveira

Membro PASCOM

 

 

 

 

 

 

<< Voltar

 

 

free counters