Pastoral Familiar - XXIV

 

Pobreza, Castidade e Obediência (Consagrados)

Para podermos entender bem sobre pobreza, castidade e obediência, vamos primeiramente explicar o que são os Conselhos Evangélicos, pois sabendo o que são os Conselhos Evangélicos, o leitor terá mais facilidade de entender o título do texto acima.

Os Conselhos Evangélicos nos mostra todos os aspectos da vida de Cristo, e é através desses Conselhos que os religiosos católicos vivem a restrita uniformização com Cristo, dessa maneira tornam-se novos Cristos para a Igreja (que chamamos de cristiformização). Estes Conselhos Evangélicos são seguidos pelos consagrados diante dos votos feitos em institutos de vida religiosa, ordens, congregações religiosas, e ou em institutos seculares, através desses Votos, os religiosos seguem as normas dos seus institutos, vivendo e seguindo os Conselhos Evangélicos do seu grupo religioso. Os votos mais comuns são os votos de Pobreza, Castidade e Obediência.

POBREZA, seguindo Cristo que se fez pobre por amor incondicional aos homens, aqueles que fizeram este votos, não podem ter bens pessoais, renunciam aos bens que por ventura tinham antes do voto, e tudo que venha a ter conseguido através de trabalhos próprios, passa a pertencer a Congregação ou Ordem a que pertença. Exemplos, os livros e CDs escritos e cantados pelo padre Zezinho ou outro congregado, todo o dinheiro arrecadado com as vendas, vão para a sua ordem ou congregação, no entanto todo o que precisar estará à sua disposição. Já os padres que optam serem diocesanos não fazem os votos de pobreza, fazem os votos de castidade e de obediência ao Bispo de sua Diocese.

CASTIDADE, não se casa e se abstêm de todo e qualquer ato sexual, isto não é somente uma obrigação porque é solteiro, mas como uma consagração, oferta de si próprio a Deus, serviço total a Deus, é uma maneira especial de consagrar ao Senhor.

OBEDIÊNCIA, todos devem sempre obedecer aos superiores, pois toda obediência é vinculada a uma autoridade, e a obediência só tem sentido a partir da fé
Para que uma pessoa siga um desses tipos de vida, necessário se faz ter vocação, pois sem a vocação nunca irá dar certo, e voltamos a dizer que até para o casamento é necessário ter vocação.

 

Para os jovens e adolescentes é necessário que também tenham uma vida de castidade, apesar da modernidade que impera nos dias de hoje, sempre incentivando na busca do prazer, do poder e do ter, é aí que corre o perigo, pois não há moral, não existe ética e não existe Deus, e sem Deus não há pessoas verdadeiramente humana.

Na 1ª Carta aos Coríntios (3,16-17), lemos o seguinte, "Não sabeis que vós sois templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá.

Porque o templo de Deus, que sois vós é sagrado", dessa maneira todos devem zelar pelo seu corpo e entender que o corpo do outro é também precioso e precisa ser preservado, isto é CASTIDADE. O 6º Mandamento nos diz: "Não pecar contra a castidade", este talvez seja o mandamento que mais é desrespeitado nos nossos dias, mas no Catecismo da Igreja Católica nº 2348, está bem explícito "todo batizado é chamado a viver a castidade,... no momento do Batismo, o cristão se compromete a viver a sua afetividade na castidade".

Jovens e Adolescentes pensem nisto, por hoje é só. Fiquem com Deus, pois estamos com Ele.

 

Toninho e Rosélia

Setor Casos Especiais da Pastoral Familiar

 

<< Voltar

 

                                                                             free counters