Pastoral Familiar


Naamã, os Dez Leprosos e o Dízimo

 

Que comparação mais estranha a do título acima, mas explicaremos logo abaixo o porquê desde artigo.

O tema da Santa Missa do dia 10/10/2010, foi " Em Tudo, Daí Graças ao Senhor!, e foi através da homília proferida pelo nosso pároco, é que colocamos em nossa vida, o sentido do agradecimento, e principalmente sobre a oferta do dízimo.
Naamã queria de qualquer maneira dar uma "gratificação" ao homem de Deus, e este recusou, Naamã que ficou curado de sua doença, disse ao profeta que doravante só teria um só Deus, o Deus de Israel, e, levou para sua pária dois sacos da terra de Israel e afirmou que nunca mais iria ofertar holocausto ou adorar outros deuses a não ser o Deus de Israel, com isso demonstrou sua gratidão e fidelidade ao Senhor.

Os dez leprosos como sabemos, todos ficaram curados por Jesus, e somente um voltou para agradecer, e este era Samaritano.

Nas duas passagens bíblicas, vemos a gratidão daqueles que são curados, daqueles que são fieis a Deus, conforme Deus é fiel para todos.

E nós somos fieis à Deus? Sabemos agradecer por tudo quanto Deus fez e faz por nós? Cremos que já é hora de fazermos um inventário de nossas vidas, você meu irmão, minha irmã, agradece a Deus pela sua vida? Pela sua família? Pela sua saúde? Pelo seu emprego? Pelo seu alimento diário? Etc., etc. e etc. ou só agradece quando recebe uma graça?

Seria hipocrisia de nossa parte afirmar que damos graças a tudo que recebemos, estamos entre os nove leprosos, recebemos a dádiva e pronto, mais nada, viramos as costas e vamos embora sem olhar para traz.

Uma das maneiras de agradecer à Deus, e é bíblico, é ofertar nosso dízimo, gesto este que não é comum entre nós. Poucas famílias ofertam seu dízimo, e a nossa paróquia pelo seu tamanho e quantidade de famílias, não chegam a ofertar 1% do seu dízimo.

Todos estão vendo a obra magnífica que está ficando a Igreja Matriz e nem assim ofertam seu dízimo, não se preocupam com a situação financeira da paróquia, não sabem e nem querem saber como e de onde vem o dinheiro para custear a construção, e o pároco com o conselho é que tem que "dar seus pulos" para que a obra não paralise, como é o caso do forro, necessário se faz com que seja colocado, e dinheiro para comprar o material? Como dissemos, o dízimo por si só não é suficiente para comprá-lo, a solução que se encontrou foi recorrer ao sorteio de algum bem, e neste caso é a Moto que será sorteada em novembro, e você será capaz de comprar pelo menos um bilhete para ajudar a construção? Ou ficará de braços cruzados, e o pior, fazendo pergunta como esta; será que vai demorar muito para terminar a construção? Se depender de você vai, pois de braços cruzados não se chega a lugar nenhum, nem perto do bolso para tirar o seu envelope com o dízimo, somos infiéis? Sim, somos, pois não somos capazes de ofertar com amor, gratidão e participação, "pois o que temos recebemos de Deus", (isto é uma parte da oração do dizimista fiel) que fazemos durante o ofertório. Não sejamos como os nove leprosos, sejamos como Naamã e o leproso que voltou para agradecer a cura que obtiveram de Deus.

Reflitam bem seu modo de agir e de ofertar seu dízimo, pois é dando que se recebe.

 

Fiquem com Deus, pois estamos com Ele.
Toninho e Rosélia - Setor Casos Especiais da Pastoral Familiar

 

 

 

 

 

 

<< Voltar

 

 

free counters