O sacerdócio de Cristo

 

Meus queridos leitores, dando, continuidade a nossa reflexão, sobre o Sacerdócio no Antigo Testamento e Novo Testamento. Podemos notar que a Bíblia é o melhor manual para entendermos o que é o sacerdote. Nenhum escrito do NT com exceção única e exclusiva da carta aos Hebreus fala de Jesus qualificando como titulo Sacerdote, mas isso não deve suscitar espanto em nós. Pois a pessoa de Jesus de fato apresenta uma imagem que a primeira vista, nada têm de sacerdotal segundo a concepção do Antigo Testamento as ações, atividades nem sempre edificante do judaísmo tardio. Jesus não pertence á família de Aarão, mas a tribo de Judá.

A sua missão mostra, além disso, um caráter profético nas palavras e nos gestos, segundo o que ele próprio afirma em Lc 4,24 e os outros reconhecem espontaneamente, por exemplo, em Lc 7, 16. Em alguns momentos com o caráter profético de Cristo e da sua mensagem parece ser contraria a um exercício do sacerdócio MT 9,13 : 12,7. Finalmente a própria morte de Jesus, execução fria de uma condenação á morte, portanto um ato simplesmente legal e infamante não apresenta nenhuma característica sacrifical ou ritual veterotestamentária.

Com a doação da sua vida, com o sacrifício de si, Jesus é ao mesmo tempo vitima e sacerdote. ``E o que já encontramos nas redações de Marcos e Mateus sobre a tradição eucarística Mc 14,24; MT 26,28, onde fala ao sangue da Aliança com que os Israelitas foram aspergidos no Monte Sinai Ex 24,8. Em 1Cor 10,14-22 a ceia do senhor é pois, contraposta aos sacrifícios dos pagãos. E João interpreta a ultima ceia de Jesus como ceia pascoal Jo 10,14-36; Paulo chama Jesus de Cordeiro Pascoal 1Cor5,7 também na carta de 1Pr1,2.19. Podemos notar que uma teologia verdadeira dita de sacrifício da cruz e do sumo sacerdócio, no entanto, só nos apresenta delineada na epistola aos Hebreus 3,1 ; 4,14ss 5,1 seguintes onde Jesus estabelece uma nova aliança do qual Ele é a única autoridade e o sumo sacerdote.  No capitulo 7,11 o autor quer salientar um ponto bem determinado: Deus se empenhou radicalmente com o futuro e a salvação tornando-se realidade em Cristo Jesus.

Melquisedec é figura misteriosa que entra na historia de Abraão em Gn 14,17-20 e o Salmo 110 que fala de um sacerdócio misterioso segundo a ordem sacerdotal de  Melquidec são textos que anunciam o sacerdócio de Cristo, que é deferente do sacerdócio judaico porque o torna superado, seu sacerdócio é muito mais amplo. È universal. O sacerdócio de Jesus Cristo, prefigurado em Melquisedec, não se fundamenta na descendência de Levi, mas no juramento do próprio Deus. Jesus Cristo torna-se, assim, o mediador definitivo entre Deus e os homens.

No Catecismo da Igreja Católica Nº 1544. Diz-nos que “Todas as prefigurações do sacerdócio da Antiga Aliança encontram a sua realização em Jesus Cristo, “único mediador entre Deus e os homens” (1 Tm 2, 5). Melquisedec, “sacerdote do Deus Altíssimo” (Gn 14, 18), é considerado pela Tradição cristã como uma prefiguração do sacerdócio de Cristo, único “Sumo-Sacerdote segundo a ordem de Melquisedec” (Heb 5, l0; 6, 20), “santo, inocente, sem mancha” (Heb 7, 26), que “com uma única oblação, tornou perfeitos para sempre os que foram santificados” (Heb 10, 14), isto é, pelo único sacrifício da sua cruz.

Também Nº1545. O sacrifício redentor de Cristo é único, realizado uma vez por todas. E, no entanto, é tornado presente no sacrifício eucarístico da Igreja. O mesmo se diga do sacerdócio único de Cristo, que é tornado presente pelo sacerdócio ministerial, sem diminuição da unicidade do sacerdócio de Cristo: “e por isso, só Cristo é verdadeiro sacerdote, sendo os outros seus ministros”.

Continuaremos nossa reflexão sobre o sacerdócio de Cristo no próximo artigo do jornal. O Ano Sacerdotal é um ano para que toda a Igreja possa olhar a realidade daquele sacerdócio que participa do sacerdócio de Cristo cabeça, pastor e servo. Olhar e compreender o dom que é para si e para o mundo. Para que encontre a disponibilidade e generosidade de corações que se disponham a ser sacramento do sacerdócio eterno de Cristo, em cada geração. Ser padre é um Dom para a humanidade!

Convido a você que dedique suas orações para os sacerdotes que eles sintam o nosso apoio o nosso carinho que Deus os ajude e ilumine na missão que escolheram para realizar a vocação de Padre.       

Irmã Francisca Romana da Costa SSpS

 

 

 

 

 

 

 

 

free counters